Notícias

INTOLERÂNCIA ALIMENTAR

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
As reações anormais a alimentos se classificam em tóxicas ou não tóxicas. As reações tóxicas se dividem por sua vez em reações alérgicas imunes e reações alérgicas não imunes. Estas últimas são as que se conhecem como intolerâncias alimentares e podem ser o resultado de déficit enzimático (por exemplo, de lactose) ou da presença de substâncias químicas ou de aditivos nos alimentos.
As reações alérgicas imunes são processos imunológicos complexos, que podem ser mediados tanto por anticorpos imunoglobulinas E (IgE) como por imunoglobulinas G (IgG) específicas, frente aos antígenos (proteínas) dos alimentos. As reações mediadas por IgE são as alergias alimentares propriamente ditas, enquanto que as mediadas por IgG são conhecidas como hipersensibilidades alimentares (popularmente conhecidas como intolerâncias alimentares).

Entre 20 e 35% da população apresenta efeitos derivados de uma hipersensibilidade alimentar.

Alergia e hipersensibilidade alimentar
As características e diferenças dos dois tipos de reações alérgicas imunes aos alimentos são:
Alergia alimentar: Se trata de uma reação imune aguda e rápida mediada por anticorpos IgE, com uma clara relação causa-efeito. A clínica pode ser generalizada e/ou localizada e pode chegar a ser muito grave (por exemplo, choque anafilático).

Hipersensibilidade alimentar: Se trata de uma reação imune lenta, mediada por anticorpos IgG, sem uma clara relação causa efeito. A clínica é muito diversa, moderada e de tipo crônico, o que dificulta seu diagnóstico. O trato gastrointestinal contém a maior superfície de tecido imune do nosso organismo, portanto é factível apresentar uma reação imune de hipersensibilidade aos alimentos mais ingeridos, em função da saúde do trato gastrointestinal e do sistema imune.

Exame A200
O exame A200 consiste na determinação de anticorpos IgG no soro frente a mais de 200 proteínas de alimentos da dieta mediterrânea. O exame se realiza por tecnologia microarray, que possibilita realizar as determinações em duplicata, resultando em reprodutibilidade da análise. É um teste direto de quantificação de IgGs específicas e, portanto, mais objetivo que outros testes que verificam a modificação na forma dos leucócitos ou realizam análises por bioressonância.

A eliminação da dieta dos alimentos com hipersensibilidade (níveis anormais de IgG) proporciona uma notável melhoria em um alto porcentual de pacientes. Assim o exame A200 é uma opção importante a ter em conta frente a qualquer destas manifestações clínicas sem diagnóstico.


©2018 Posenato Laboratório Clínico

Procurar