Notícias

Estudo relaciona colesterol alto com dificuldade para engravidar

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O colesterol pode contribuir para a dificuldade de ter filho. De acordo com estudo dos Institutos Nacionais de Saúde, dos Estados Unidos, existe relação entre o colesterol alto e a dificuldade de os casais conseguirem engravidar.

No estudo, publicado no periódico científico da Sociedade Americana de Endocrinologia, uma equipe de pesquisadores analisou 501 casais, deste total, 347 ficaram grávidos no período de 12 meses. Ao comparar os índices de colesterol dos participantes notou-se relação entre os casais em que um ou ambos tinham colesterol alto e a dificuldade para ter filho.

"Além de aumentar o risco de doença cardiovascular, nossos resultados sugerem que o colesterol pode contribuir para a infertilidade", disse um dos autores do estudo, Enrique F. Schisterman dos Institutos Nacionais de Saúde. Ele afirma que aqueles que apresentam dificuldades para terem filhos deveriam checar o colesterol para se assegurarem que estão em níveis aceitáveis.

O colesterol é uma substância semelhante à gordura encontrado em todas as células do corpo. Cerca de um terço dos adultos americanos - 71 milhões - têm níveis elevados de lipoproteína de baixa densidade, o LDL, também chamado de colesterol ruim. Apenas um em cada três adultos com LDL elevado tem a condição sob controle.

Os pesquisadores mediram o colesterol de todos os casais a partir de amostras de sangue colhidas no início do estudo. Em vez de medir o colesterol LDL e outros subtipos, os investigadores mediram as quantidades totais e livres de colesterol no sangue. Segundo os resultados, os casais em que um ou ambos os parceiros tinham colesterol elevado levou muito mais tempo para engravidar.

"Nosso estudo também encontrou casais em que a mulher tinha o colesterol elevado e o homem não, eles também levaram mais tempo para engravidar do que casais em que ambos os parceiros tinham níveis de colesterol dentro dos limites normais", disse Schisterman.

Data: 27/05/2014
Fonte: saude.ig.com.br

©2018 Posenato Laboratório Clínico

Procurar